4-0-3
 
 
Página Inicial  

Pesquisar pelo Site:

Oriente-se
Empresas
Imóveis
Turismo
 
 



 

Conheça o diferencial que provoca crescimento do consórcio de serviços

Pesquisa mostra que serviços residenciais, festas e eventos, e saúde e estética são os três mais procurados pelos contemplados no uso dos créditos

Consumidor confirma maturidade e responsabilidade no momento da contratação da modalidade


Para Paulo Roberto Rossi, presidente executivo da ABAC, "os múltiplos usos dos créditos nos consórcios de serviços têm sido considerados como o principal atrativo pelos consumidores, ressaltando que "parcela significativa dos consorciados, antes de aderirem ao consórcio de serviços, têm ponderado o comprometimento financeiro, os custos, a representatividade da parcela nos orçamentos mensais, confirmando maturidade e responsabilidade no momento da escolha". .

Levantamento preparado recentemente pela assessoria econômica da ABAC Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios, baseado em dados fornecidos pelas empresas que atuam no setor de Serviços, mostrou ampla multiplicidade na utilização de créditos concedidos a consorciados contemplados, apontada como um dos fatores geradores do expressivo crescimento do número de participantes e de novas adesões no primeiro bimestre deste ano.

Com quase 80% de aumento na venda de novas cotas nos dois primeiros meses deste ano em relação ao mesmo período de 2016 e a consequente quase duplicação dos créditos comercializados, houve aumento de pouco mais 18% no total de participantes em fevereiro deste ano em relação ao mesmo mês no ano passado. A análise feita registrou que, na utilização dos valores pelos contemplados, Serviços Residenciais ficou em primeiro lugar ao atingir 47,6%. Na sequência vierem Festas e Eventos com 13%, Saúde e Estética com 11,2%.

Nos resultados, tivemos ainda Turismo com 4%, Serviços Odontológicos com 2,6%, Serviços Oftalmológicos e Educação com 2,5% cada. Os demais serviços, com menor percentual, somaram 16,6% em "Outros".

Para Paulo Roberto Rossi, presidente executivo da ABAC, "os múltiplos usos dos créditos nos consórcios de serviços têm sido considerados como o principal atrativo pelos consumidores. A facilidade para aderir, ampla liberdade e versatilidade na utilização por ocasião da contemplação, quanto o consorciado pode concretizar, alterar e multiplicar seu objetivo original. As particularidades, aliadas ao baixo custo do produto, têm motivado os consumidores a aderirem aos grupos do Sistema de Consórcios para atingir, mesmo em tempo de crise, os objetivos pessoais, familiares e empresariais".

Serviços residências lideram a preferência

No levantamento realizado em agosto de 2016, a preferência também era pelos Serviços Residenciais com 63,1%, sendo 13,7 pontos percentuais acima do atual (47,6%). Em contrapartida, Festas e Eventos, duplicou o percentual do ano passado [6,4%] chegando aos 13%. Saúde e Estética, que ficou em terceiro lugar na atual classificação, baixou dos 17% anteriores para 11,2%.

No item "Outros", os créditos, ao longo de sua história de oito anos, foram destinados para serviços variados como advocatícios, aração de solo, assessoria financeira, assessorias diversas, aulas particulares, consertos em geral, criação de identificação visual em comunicação, corte e dobra de chapas, curso de autoescola, curso de piloto, desenvolvimento de sistemas, estofamento, fotografia, informática, instalações, locação de veículos, mecânica, montagens, mudanças, pintura de veículo, segurança, telecomunicações, treinamento, terraplanagem, etc.

Mulheres aumentam participação

De acordo com os dados levantados pela assessoria econômica da ABAC, a maior presença foi a masculina com 58%, enquanto a das mulheres atingiu 40,3%, entre os mais de 38 mil consorciados ativos do setor de Serviços. Há seis meses a participação feminina era de 23,3%, logo, registrou crescimento de 17 pontos percentuais. As pessoas jurídicas chegaram a 1,7%.

Maturidade e responsabilidade

Tendo como base a essência da educação financeira, os participantes do consórcio de serviços planejaram suas contratações ao considerarem custos menores, livre escolha do prestador, tanto pessoas jurídicas como profissionais liberais ou técnicos especialistas. Por se tratar de um autofinanciamento, a modalidade tem levado muitos consumidores, pessoas físicas e jurídicas, a optar por sua utilização na realização de seus objetivos pessoais, familiares ou empresariais.

Rossi ressalta a importância do planejamento apoiado no controle das finanças ao apontar que "parcela significativa dos consorciados, antes de aderirem ao consórcio de serviços, têm ponderado o comprometimento financeiro, os custos, a representatividade da parcela nos orçamentos mensais, confirmando maturidade e responsabilidade no momento da escolha".

Nas pesquisas realizadas com as administradoras associadas que atuam no setor, verificou-se ainda que, nos grupos constituídos, o prazo médio esteve em 35 meses, com crédito médio de R$ 6,68 mil, variando de R$ 2 mil a R$ 16 mil. A taxa média de administração ficou em 0,62% ao mês, praticada nos últimos meses.


15.05.17 19:16

Outras Notícias:  
22.09.17 16:02 Técnicos dizem que conectar empresas com indú...
22.09.17 15:59 Empresários da indústria estão mais confiantes, diz CNI
22.09.17 15:51 STF decide enviar denúncia sobre Temer à Câmara
21.09.17 12:45 Prévia da inflação em setembro tem o menor re...
21.09.17 12:39 BC reduz projeção de inflação este ano para 3,2%
21.09.17 12:36 Expectativa de inflação dos brasileiros sobe ...
21.09.17 12:33 Maia diz que PMDB está tentando reduzir o cre...
20.09.17 16:44 São Paulo mantém melhor posição no ranking de...
20.09.17 16:35 Temer diz a investidores que Brasil é um dest...
20.09.17 16:31 Em Nova York, Meirelles diz que recessão acab...
 
Anterior [1/1040] Próximo
Copyright © Vida Econômica - É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Power by Sistema agencianaweb.com.br